03/05/2024
 | 
Leitura: 5 min

IFRS 9: como se adequar e manter a conformidade

Você sabe o que é a IFRS 9 (International Financial Reporting Standards)? Essa norma de contabilidade trouxe consigo uma série de mudanças, impactando diretamente as práticas contábeis e o gerenciamento de riscos das instituições financeiras.

Acompanhar as alterações regulatórias e se adequar a elas de forma ágil e eficiente tornou-se indispensável para as organizações que desejam se tornar mais competitivas no mercado.

Com a IFRS 9, as empresas têm diretrizes mais claras e padronizadas, o que demanda adequação ao compliance financeiro.

É como um óculos de alta definição para os demonstrativos financeiros, revelando detalhes antes difíceis de enxergar. Para saber mais sobre o assunto, continue lendo!

O que é a norma IFRS 9?

A IFRS 9 é uma norma contábil adotada internacionalmente que está em vigor desde 2018, substituindo a IAS 39, e trata da padronização de instrumentos financeiros, especialmente no que diz respeito a depreciações de crédito.

Dessa forma, as empresas podem saber previamente quais são as perdas projetadas, pois a norma prevê um cenário mais realista em relação aos possíveis riscos vinculados aos ativos financeiros.

Nesse contexto, a IFRS 9 também funciona como parâmetro para que as empresas saibam como é a mensuração e a classificação de ativos e passivos financeiros.

Quais mudanças ocorreram na IFRS 9?

Uma das mudanças foi a eliminação de categorias como empréstimos, recebíveis e títulos mantidos até o vencimento, o que se reflete no balanço patrimonial.

Os ativos financeiros passaram a ter outras classificações, como valor justo por meio do resultado e custo amortizado.

No tocante às expectativas futuras ou perdas de crédito esperadas, ou ECL, há um impacto sobre bancos, que precisam fazer a atualização de riscos de crédito a cada relatório e em sua respectiva data.

Ainda no contexto das mudanças ocorridas com a IFRS 9, deixou-se de utilizar a LIBOR, ou London Interbank Offered Rate, para fins de taxa de juros de referência, com o intuito de evitar manipulações devido a vulnerabilidades no cálculo da taxa.

Qual a importância da IFRS 9?

Os relatórios passaram a ter maior precisão de detalhes com a norma, o que traz mais credibilidade para a instituição, além de ser possível fazer comparações entre diferentes demonstrativos.

Por sua vez, há também uma maior eficácia quanto à tomada de decisões. Em especial porque há geração de dados que possibilitam embasar estratégias para otimização de operações contábeis.

Além disso, há uma menor volatilidade na gestão de riscos financeiros.

No que se refere ao relacionamento com stakeholders e investidores, há um impacto positivo.

Considerando que o Brasil atrai investidores internacionais, a IFRS 9 é importante porque padroniza dados e processos contábeis, inclusive pagamento de dividendos a acionistas, com uma linguagem que pode ser compreendida internacionalmente.

Quais os principais desafios na implementação da IFRS 9?

Os principais desafios para adoção da IFRS 9 são:

  • complexidade das mudanças nas normas contábeis;
  • adequação de sistemas e processos existentes às novas exigências;
  • garantia de que os sistemas tenham estrutura suficiente para lidar com as demandas da IFRS 9;
  • desenvolvimento de processos de coleta, armazenamento e análise de dados;
  • capacitação de equipes em relação aos conceitos e aplicações da norma em questão;
  • necessidade de revisão e atualização dos processos internos;
  • implementação de mecanismos de monitoramento e avaliação para garantir a eficácia da IFRS 9.

Qual o papel tecnologia para garantir a conformidade?

A tecnologia desempenha um papel essencial na garantia da conformidade com a IFRS 9. Entenda como ela beneficia as operações de uma empresa:

  • implementação de sistemas de contabilidade e relatórios financeiros que suportam os requisitos da IFRS 9;
  • uso de ferramentas de automação para processamento e análise de dados;
  • utilização de softwares de gestão de riscos que integram as metodologias da IFRS 9;
  • adoção de soluções de Business Intelligence para gerar relatórios e insights mais precisos;
  • implementação de workflow de compliance para monitorar as operações;
  • adoção de soluções de nuvem para armazenamento seguro e acesso remoto aos dados;
  • aumento da vantagem competitiva empresarial.

Como a Dimensa está preparada para atender a IFRS 9?

A adoção da IFRS 9 representa um marco significativo para instituições financeiras em todo o mundo. No entanto, sua implementação não é isenta de desafios

Aqui, exploramos alguns dos principais obstáculos enfrentados pelas organizações ao implementar a IFRS 9 e discutimos estratégias para superá-los.

Complexidade dos modelos de avaliação

A mudança do modelo de perdas incorridas para perdas esperadas exige a implementação de metodologias avançadas de modelagem estatística e econômica. 

Isso pode ser especialmente desafiador para instituições com sistemas e recursos limitados. Para este desafio, a Dimensa entende que é crucial investir em tecnologia e talento especializado.

Dados de qualidade e abrangência 

A qualidade e a abrangência dos dados são fundamentais para o cálculo preciso das perdas esperadas.

Muitas organizações enfrentam dificuldades na coleta, integração e limpeza de dados relevantes, especialmente quando se trata de históricos de inadimplência e informações macroeconômicas. 

Nesse caso, a Dimensa entende que é necessário o investimento em gerenciamento de dados e governança, mas que também é crucial sistemas robustos e aprimorados, com informações de confiança e histórico das operações.

Alinhamento de Processos e Controles internos

A transição para a IFRS 9 requer uma revisão abrangente dos processos e controles internos relacionados à contabilização, relatórios e gerenciamento de riscos. 

Muitas organizações enfrentam desafios ao alinhar seus sistemas e procedimentos existentes com os requisitos mais rigorosos da nova norma. 

Para este grande desafio, a Dimensa entende que é crucial a implementação bem-sucedida da IFRS 9, visando excelência e integração da tecnologia e negócio, onde o papel do software é facilitar cálculos, provisionamentos e controles internos das instituições.

Enfim, ao superar os desafios acima, as instituições financeiras podem maximizar as oportunidades oferecidas pela nova norma e fortalecer sua posição no mercado global.

Sabemos que, este ano, a jornada é longa e complexa.

Mas a Dimensa está à frente neste assunto, com fóruns recorrentes e com softwares preparados desde as entradas e gestão de operações de crédito, assim como a contabilização e emissão de todos os legislativos às instituições financeiras.

Então, agora que você já sabe o que é IFRS 9, aproveite e conheça as soluções da Dimensa em Core Banking para adequação da sua empresa às normas contábeis.

crédito da imagem: Freepik

Compartilhe o artigo
Buscar artigos:

Artigos semelhantes


Compliance
Compliance financeiro: descubra a importância para sua empresa
O compliance financeiro pode ser comparado com um médico de família: ambos visam principalmente a ...
Leia mais
Não deixe de acompanhar nossas atualizações.
Inscreva-se em nossa newsletter
para receber conteúdos exclusivos.
Siga nossas redes sociais
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram